Nós Somos

A Cia. de Teatro Tumulto, formada por atores da Cidade de Deus e de outras comunidades do Rio de Janeiro está ligada diretamente à CUFA , sob direção geral de Anderson Quak e Liz Oliveira.
Tem como objetivo primordial ofertar novas telas e óticas para o teatro brasileiro. Reforçar os laços de cultura com a população de acesso restrito. Como lema, os atores adotaram a máxima:
Tumultuar. Contrariar o óbvio. Impressionar. Desconcertar. Mexer com quem está quieto.”
São produções de qualidade, propostas inovadoras, num teatro comunitário ousado e uma arte comprometida com as questões do homem contemporâneo.
O núcleo de dramaturgia se prolifera a cada movimento distinto em classes especializadas para jovens e crianças.
Promove o intercâmbio cultural, por meio de mesas de relacionamentos, debates, encontros artísticos e governamentais, e marca sua presença na inserção sócio-cultural.
Conquistou o apoio cultural de representantes do teatro brasileiro, como Lázaro Ramos, Maria Padilha, Babu Santana, Mariana Ximenes, Guida Viana, Thais Araújo, Tereza Gonzalez e muitos outros tumultuadores.
A inserção de parcerias, apoios e patrocínios, por partes privadas ou governamentais, contribuirão para a expansão e profissionalização teatral, com efeito multiplicador comunitário.
Mundo afora, a Cia de Teatro Tumulto recebe o apoio da Secretaria da Cultura do Governo do Estado.

Capítulos Artísticos

· Prazer em Família

· Paranóia Carioca
· Carroça da História
· Paparutas
. Navio Negreiro
· A Nóia da Paranóia
· Papo Calcinha

. Burgues da Lata

domingo, novembro 23, 2008

Encaixe Perfeito


A Cia. Tumulto, na aula de sábado (8), foi agraciada com as presenças do ator e dramaturgo Daniel Chagas, do Grupo Milongas, e o ator Rafael Queiroga, do Z.É.-Zenas Improvisadas. Fazendo uma referência ao conteúdo que nos foi transmitido, classificar esse encontro como bom seria pouco. Foi ótimo!!!! Digamos que foi o "encaixe perfeito" entre trabalho corporal e improvisação.

Vimos o quanto é importante a preparação de um dos nossos principais instrumentos de trabalho O CORPO, vimos também que é um trabalho árduo. "Os atores são como atletas, a cada dia temos que aprimorar a nossa técnica. Eles treinam todos os dias para bater o próprio recorde, mesmo que seja em 1 milésimo", nos explicou Daniel Chagas.

Disciplina é o primeiro impulso. Com disciplina na nossa preparação chegaremos a um ponto em que a nossa técnica se tornará subconsciente e automática, como respirar, que também exige técnicas para termos fôlego, principalmente na hora em que alguma representação nos pede a junção da ação com a fala ou o canto. Musical é um grande exemplo.

O corpo em determinados momentos vale mais que as palavras. Por exemplo, se seu corpo não condiz com o que você está representando é um "CORPO MORTO", por isso são essenciais os exercícios de respiração e alongamento, a preparação vocal. Importantíssimos para o aperfeiçoamento constante do ator, para que o seu corpo na hora da representação esteja em total harmonia com você, seu personagem e com o trabalho que está sendo mostrado.

Os exercícios de improvisação mostram o quanto temos que estar atentos ao que parceiro fala, ao momento em que se vai falar, à história com início meio e fim, com conflitos, como eles serão resolvidos ali na hora. O foco é muito necessário, sem ele a verborragia predomina, a história não tem pé nem cabeça. Por isso é importante estar atento à fala do seu parceiro. Não seja platéia. Não tente só você fazê-la rir ou chorar, todos têm que fazer. A concentração é fundamental e a harmonia de grupo também.
De acordo com Daniel Chagas, "ninguém é insubstituível, mas somos únicos", então façamos a “unimultiplicidade” que é o Teatro.


Paula Pardon
Atriz da Cia. de Teatro Tumulto
paulapardon@pop.com.br


Visite o site:
http://www.grupomilongas.com/index.html

http://www.zenasemprovisadas.com.br/

2 comentários:

JO CARDOZO disse...

Paula,

o discurso está excelente, e com certeza, esses exercícios adaptados pelo Daniel são ótimos para o dia a dia também, pois geralmente tudo que passamos no nosso cotidiano, o corpo sempre paga, mas se tivermos preparados. Fica perfeito, como foi essa aula!!!

Beijos e saudades
Jo Cardozo

CUFA CDD disse...

A aula de Daniel Chagas nos mostrou como podemos juntar a técnica com a emoção, alcançando assim nosso próprio método de interpretação. Como ex-aluno do Daniel, afirmo que ele está ainda mais perfeccionista. Aula esplêndida!!!
Rafael Queiroga já havia me mostrado seu talento nas várias peças teatrais a que assisti. O que eu não sabia, porém, é que ele também era tão capaz de conduzir a turma com maestria e propriedade nos vários exercícios de interpretação a que nos apresentou. Aula maravilhosa!!! Dia perfeito de trabalho!

Alex Borges
Ator e Coordenador do Curso de Teatro da Cia. Tumulto - CUFA